AULAS e ESCOLA com DIABETES

PARA ALUNOS

Você que está voltando das férias, e já iniciando um semestre agitado, precisará se organizar para manter tudo sob controle, incluindo o contole do diabetes. Para isso é importante planejar e fazer ajustes nos controles (número e horários), doses de insulina e horários de refeição, e, com isso, evitar surpresas.
http://drabibiana-diabetesesaude.blogspot.com/2011/12/pequenos-gestos-fazem-diferenca-para-o.html

Monitorar a glicemias com testes de glicêmia capilar é sempre importante. Quanto há mudança de rotina e/ou ajuste de dose de insulina então, o número diário de testes deve ser aumentado. Para aqueles que passarão mais tempo sentado do que nas férias, por exemplo, aumentam as chances de hiperglicemia e talvez seja necessário conversar com o médico para ajuste de dose de insulina. Para os que se alimentavam em horário diferente nas férias, será importante se readequar à rotina. E lembre-se de sempre estar com o glicosímetro, a insulina e fontes de glicose, como balas e saches de glicose para corrigir eventuais hipoglicemias.
Na escola é importante ainda que você avise seus professores e coordenação que você tem diabetes, a fim de que não se surpreendam quando você fizer uma ponta-de-dedo na classe, ou se aplicar insulina; e que autorizem que você coma balas ou outra fonte de glicose durante a aula, caso tenha hipoglicemia. Você perceberá que seus amigos também se interessarão em saber mais sobre o seu diabetes.
Lembre-se também de verificar a quantidade de carboidrato dos seus lanches, para poder tomar a insulina de acordo. Nas aulas de educação física, não esqueça que sua glicemia pode baixar, por isso, faça o teste antes (se a glicemia estiver baixa ou baixando coma alguma coisa); durante caso necessário (e tenha balas e sache de glicose no bolso para usar caso esteja baixa); e depois para confirmar que está boa a glicemia.

PARA PAIS

É importante que os pais informem a escola (coordenação e professores) sobre o diabetes da criança e que levem instruções, avisando sobre necessidade de fazer testes e se aplicar insulina durante o período de aulas; além da possível necessidade de ir ao banheiro e tomar água com maior frequência em caso de hiperglicemia, e necessidade de consumo de balas ou outras fontes de glicose durante a aula, em caso de hipoglicemia.



No caso de crianças menores, a professora deve ser orientada em detalhes, a fim de poder auxiliar a criança nos seus cuidados.  

PARA PROFESSORES

É importante que os professores saibam que o diabetes é uma das doenças crônicas mais frequentes em crianças e adolescentes. Assim, é muito provável que você tenha algum aluno com diabetes. Não se desespere com isso. Esteja aberto para aprender e poder auxiliar esse aluno se necessário, ou apenas dar espaço para que faça seu tratamento de forma adequada enquanto estiver na escola (para adolescentes).

http://www.diabetesnasescolas.org.br/


O professor tem um papel importante de inclusão da criança com diabetes no grupo. Muitas crianças ao receberem o diagnóstico se sentem excluídas do grupo por não conhecerem outros que também têm diabetes. O professor pode facilitar essa ressocialização dando espaço para a criança. Em muitas escolas as crianças com diabetes são convidadas a dar aula aos colegas sobre o tema e passam a se sentir mais confiantes com isso. Há obviamente outras estratégias que podem ser usadas, dependendo da faixa etária e das caracteristicas individuais da criança.

Saiba  mais em:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes