Pessoas Não Obesas também têm Diabetes Tipo 2

Pelo fato de o sobrepeso ou a obesidade serem fatores de risco importantes para o diabetes tipo 2, muitas vezes se acredita que apenas pessoas com essas características podem desenvolvê-lo. Contudo, pessoas com Índice de Massa Corpórea (IMC) dentro dos padrões ideais, entre 18,5 e 24,9 (link para calcular seu IMC), também podem desenvolver esse tipo de diabetes, vejamos o como.




Um dos principais fatores é a genética, que desempenha um papel significativo na determinação do aparecimento da disfunção. História familiar de diabetes tipo 2, juntamente com um estilo de vida sedentário e maus hábitos alimentares, favorecem ainda mais o desenvolvimento da disfunção. Outros fatores de risco são: diagnóstico prévio de diabetes gestacional ou ter dado a luz a um bebê grande

www.guiadebebes.com/diabetes-gestacional-problemas-que-puede-ocasionar/

Pessoas com as características enumeradas acima, apesar de seu aspecto exterior, escondem um perfil metabólico semelhante ao de pessoas com excesso de peso que têm diabetes tipo 2.

Muitas das pessoas com peso normal que têm diabetes tipo 2 apresentam excesso de gordura visceral. A gordura visceral é o tipo de gordura em torno dos órgãos abdominais do corpo e é altamente ativa metabolicamente, produzindo uma variedade de hormônios que influenciam o metabolismo da glicose e gordura. As células de gordura liberam ácidos graxos na corrente sanguínea que podem danificar a capacidade das células musculares para se ligarem à insulina, causando resistência, bem como afetar a saída da glicose do fígado. 

Uma maneira de saber se você tende ter esse tipo de gordura visceral é: medir sua cintura, em seguida, medir os seus quadris e dividir a primeira medida pela segunda. Se o resultado encontrado for 0,8 ou acima, você tem mais gordura visceral e pode estar em maior risco de desenvolver diabetes tipo 2, mesmo se nunca teve um problema com o controle de peso. 

www.raquelreispersonal.com/outubro_2010_27.html

Perda de peso não é, obviamente, o tratamento neste caso, mas o controle do peso, os exercícios e a alimentação saudável podem ajudar muito. Exercícios aeróbios e treinamento de força auxiliam a manter a glicemia sob controle e a se manter saudável. Lembre-se, quanto mais músculos, maior a captação de glicose para dentro das células. 

Escolha carboidratos de baixo índice glicêmico, como: legumes, frutas e legumes; e limite açúcares e gordura. Os benefícios à saúde do coração também valem muito o investimento.

Traduzido e adaptado por Mark Barone.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?