Pular para o conteúdo principal

90 anos de Idade e 85 anos de Diabetes Tipo 1, Um Grande Exemplo!

Durante o 71º Congresso da Associação Americana de Diabetes tivemos a oportunidade de participar do encontro do Centro de Diabetes da Joslin e assistir a entrega de medalhas a pessoas, no caso já senhores, que são grandes exemplos a quem foi recém diagnosticado, ou mesmo aos que têm "poucas décadas" desde o diagnóstico.

Paul Madden, Erica Alves, Bob Krause e Mark Barone

O grande destaque do evento foi um senhor que além da medalha, recebeu uma placa em sua homenagem, por seu exemplo às gerações mais jovens. Bob Krause, um simpático senhor de 90 anos, com muitas histórias para contar, é o primeiro americano que se tem notícia de ter vivido mais de 85 anos com diabetes tipo 1. E sua história, que será resumida a baixo, é realmente impressionante. Um verdadeiro vencedor. Imagine há 85 anos as dificuldades para se controlar a glicemia...

Nascido no mesmo ano em que a insulina foi descoberta, 1921, ao ser diagnosticado com diabetes aos 5 anos de idade, Bob já havia sofrido muito por ver seu irmão, diagnosticado 1 ano antes (quando a insulina ainda não era comercializada) sofrer e não resistir às consequências da hiperglicemia constante. Apesar do trauma, isso lhe trouxe lições. Até hoje Bob não deixa de lado o controle de seu diabetes. Fazendo mais de uma dúzia de testes por dia e gráficos de sua glicemia, Bob, com orientação de sua equipe de saúde, faz os ajustes necessários e mantém sua glicemia sob controle!

Hoje aposentado, Bob conta com orgulho tantas coisas que conquistou, como o cargo de professor de engenharia mecânica da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

Bob Krause conversando com outros 4 medalhistas
homenageados por 50 anos desde o diagnóstico do diabetes tipo 1.

Um grande exemplo de superação como esse, que conseguiu vencer dificuldades de uma época na qual não havia como dosar a glicemia em casa, seringas só de vidro com agulhas enormes e 1 único tipo de insulina, deixa uma clara mensagem de esperança e de certeza de que é possível sim realizar os sonhos e viver uma vida longa e saudável com diabetes. E o segredo é... cuidar-se! Manter-se saudável!


Mais informações em:

Bob Krause: Oldest Living Type 1 Diabetic


Bob Krause - 90 year old type 1 diabetic

Comentários

  1. Com certeza ele merece o título!!
    Grande exemplo a ser seguido, com paciência, tranquilidade e Deus no coração chegamos lá!

    Abraços
    Silvia (mãe do João Pedro)

    ResponderExcluir
  2. Q todos pequenos e jovens diabéticos tenham a sorte e a felicidade deste herói dessa historia meus parabéns q Deus abençoe sua vida!

    ResponderExcluir
  3. É o que peço a Deus quase todos os dias da minha vida, que minhas filhas tenham paciência, disciplina e fé. Pois quem sabe elas poderão ser umas futuras medalhistas?
    Abraços
    Auxiliadora(mãe de Alice e Cecília)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Você deve estar se perguntando, "o que será que aconteceu com o suco de laranja? será que descobriram algum suco contaminado?" Não, não é esse o caso. Estamos falando do suco de laranja natural mesmo, não adoçado, feito na hora, ou comprado em caixinha. E o alerta é para todos que têm diabetes. Vejamos por quê.

O suco de laranja é bastante popular no Brasil. Pudera, somos exportadores de laranja e de suco de laranja. Por isso, é comum encontrar pessoas tomando suco de laranja na padaria, no bar, no restaurante, seja durante a refeição ou em seus intervalos. Além disso, todos apreciam o fato de a laranja ser uma fruta rica em vitaminas e minerais, como a vitamina C. 
Por outro lado, existe um mito em relação ao suco de laranja, assim como em relação aos outros sucos de fruta, como o suco de melancia e o de uva. "Se é natural, não tem com o que se preocupar". Porém, especialmente para quem tem diabetes, os sucos naturais podem ser vilões e atrapalhar muito o control…

Comer... Mas quando tomar a insulina?

Este artigo tem como objetivo responder uma questão que, junto à contagem de carboidratos, é cada dia mais frequente. Quando tomar a insulina ultra-rápida para os carboidratos que consumi ou consumirei? Muitas pessoas têm relatado um frequente descontrole glicêmico, resultando em Hemoglobina Glicada (A1C) alta, devido a terem hiperglicemia após a alimentação, ou mesmo por se esquecerem de tomar a insulina que deveria ter sido tomada para a refeição.
A primeira coisa que é importante saber é que essa elevação da glicemia pós-pandial (depois da alimentação) é prejudicial ao organismo, aumentando o risco de complicaçõescrônicas do diabetes.


Quanto ao momento de tomar a insulina, é importante lembrarmos que mesmo as insulinas ultra-rápidas (Lispro, Aspart e Glulisina) começam a agir entre 10 e 15 minutos após serem aplicadas. Por isso, se você já se alimentou e ainda não tomou sua insulina, sua glicemia irá subir. Os alimentos, em especial os ricos em carboidratos, começam a ser absorvid…

Xultrophy: Insulina + GLP-1 (menos hipoglicemias, melhor A1C e perda de peso!)

Por Ronaldo J. P. Wieselberg
No último congresso da ADA (American Diabetes Association), neste ano, foi apresentado um trabalho que demonstrava os benefícios de um “novo” medicamento para o diabetes, chamado Xultophy. Novo, entre aspas, porque, na verdade, ele não é exatamente algo novo no mercado...
O Xultophy nada mais é do que uma mistura (em quantidades certas!) de insulina Degludeca (Tresiba) e da Liraglutida, um dos agonistas de GLP-1 (Victoza). Os três produtos em questão – Xultrophy, Tresiba e Victoza – são produzidos pela NovoNordisk. Até aí, nada demais – não fosse o fato de que o Xultophy “venceu” a Lantus (insulina glargina) durante o estudo, ou seja, exibiu mais benefícios para pessoas com diabetes tipo 2 (DM2).
Para entender essa “vitória”, vamos explicar rapidamente como são feitos os estudos de novos medicamentos.
Depois que o novo medicamento é testado em cobaias – principalmente ratos – e em pessoas saudáveis, para que haja segurança – ou seja, para que saibamos que …