E se eu ou meu marido/esposa ou namorado(a) tem diabetes?

Relacionamentos estáveis exijem trabalho em equipe, e não é diferente quando seu parceiro ou você tem diabetes tipo 1. Para que o controle do diabetes não seja deixado de lado, o que é fundamental para se manter saudável, é imprescindível uma boa comunicação entre você e seu parceiro. Um relacionamento sólido e honesto faz com que o tratamento de todas as facetas do diabetes seja facilitado. Tendo dito isso, é importante estar disponível para falar sobre todos os assuntos que surjam em um relacionamento íntimo e comprometido, sabendo da presença do diabetes. Comunicação é a chave, então, se você está meio irritado ou desanimado, esteja ciente da sua glicemia – ela pode afetar seu humor. Também é uma boa ideia informar seu parceiro sobre qualquer frustração que você esteja lidando relacionada ao seu tratamento, assim como tentar auxiliá-lo e entendê-lo nos seus dilemas próprios. 

Carla, hoje casada com Guilherme, nunca escondeu ter diabetes tipo 1 desde o início da adolescencia.

Lembre-se que seu diabetes não é algo que você deva guardar trancado a sete chaves e se atracar a ele apenas quando ninguém estiver olhando. Tratar satisfatoriamente o diabetes é uma realidade constante na sua vida, algo que é parte das suas atividades diárias. Fingir que não é parte da vida do seu parceiro, também, é besteira. Lembre-se, você não tem que ser o solitário em relação à sua vida com diabetes se existe alguém que pode oferecer auxílio durante o seu caminho. É o seu diabetes e seu tratamento pessoal, mas você pode trabalhar junto com seu parceiro para torná-lo mais fácil. Com isso seu parceiro se tornará mais seguro e intimo, podendo participar da sua vida de forma mais completa. 

Nota: Para todos os parceiros de pessoas com diabetes tipo 1 que estejam lendo isso: Seja prestativo, mas seja paciente. Mantenha os meios de comunicação abertos e pergunte sobre o que não entender. Informe-se e junte-se às comunidades online onde outras pessoas discutem sobre diabetes. Essa é uma condição pessoal, mas, ao mesmo tempo, não é fácil quando se está sozinho. Tenha certeza de que você estará lá para ajudar, não para ser a “Polícia Diabética”.
Fonte: Day-to-Day Life with Type 1 Diabetes. Adult Type 1 Toolkit. JDRF, 2009:p.29.
Traduzido e adaptado por Ronaldo J. P. Wieselberg

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?