E se eu ou meu marido/esposa ou namorado(a) tem diabetes?

Relacionamentos estáveis exijem trabalho em equipe, e não é diferente quando seu parceiro ou você tem diabetes tipo 1. Para que o controle do diabetes não seja deixado de lado, o que é fundamental para se manter saudável, é imprescindível uma boa comunicação entre você e seu parceiro. Um relacionamento sólido e honesto faz com que o tratamento de todas as facetas do diabetes seja facilitado. Tendo dito isso, é importante estar disponível para falar sobre todos os assuntos que surjam em um relacionamento íntimo e comprometido, sabendo da presença do diabetes. Comunicação é a chave, então, se você está meio irritado ou desanimado, esteja ciente da sua glicemia – ela pode afetar seu humor. Também é uma boa ideia informar seu parceiro sobre qualquer frustração que você esteja lidando relacionada ao seu tratamento, assim como tentar auxiliá-lo e entendê-lo nos seus dilemas próprios. 

Carla, hoje casada com Guilherme, nunca escondeu ter diabetes tipo 1 desde o início da adolescencia.

Lembre-se que seu diabetes não é algo que você deva guardar trancado a sete chaves e se atracar a ele apenas quando ninguém estiver olhando. Tratar satisfatoriamente o diabetes é uma realidade constante na sua vida, algo que é parte das suas atividades diárias. Fingir que não é parte da vida do seu parceiro, também, é besteira. Lembre-se, você não tem que ser o solitário em relação à sua vida com diabetes se existe alguém que pode oferecer auxílio durante o seu caminho. É o seu diabetes e seu tratamento pessoal, mas você pode trabalhar junto com seu parceiro para torná-lo mais fácil. Com isso seu parceiro se tornará mais seguro e intimo, podendo participar da sua vida de forma mais completa. 

Nota: Para todos os parceiros de pessoas com diabetes tipo 1 que estejam lendo isso: Seja prestativo, mas seja paciente. Mantenha os meios de comunicação abertos e pergunte sobre o que não entender. Informe-se e junte-se às comunidades online onde outras pessoas discutem sobre diabetes. Essa é uma condição pessoal, mas, ao mesmo tempo, não é fácil quando se está sozinho. Tenha certeza de que você estará lá para ajudar, não para ser a “Polícia Diabética”.
Fonte: Day-to-Day Life with Type 1 Diabetes. Adult Type 1 Toolkit. JDRF, 2009:p.29.
Traduzido e adaptado por Ronaldo J. P. Wieselberg

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes