Diabetes? Saiba quais EXAMES sempre fazer!

Para saber mais sobre o assunto, entrevistamos uma das pessoas com mais experiências na área, a endocrinologista Dra. Cristina Khawali, que há anos trabalha com os principais laboratórios do país. Dividimos a entrevista em duas partes, a segunda será publicada na próxima semana.

www.pennmedicine.org/health_info/diabetes2/000291.html

1. Dra. Cristina, há uma serie de exames fundamentais para quem tem diabetes. Já exploramos algumas vezes o significado e a importância da Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c). Quais outros exames de rotina são indispensáveis para quem tem diabetes?

De fato existem exames importantes tanto laboratoriais quanto de imagem ou realizados por outros especialistas, alguns dos principais são: 

  • Urina tipo 1
  • Excreção urinária de albumina
  • Fundo de olho
  • Eletrocardiograma de repouso
www.nytimes.com/health/guides/disease/type-2-diabetes/diagnosis.html

2. Qual é a importância e o significado de cada um desses exames?


O objetivo principal desses exames é rastrear as complicações crônicas do diabetes, particularmente, aquelas relacionadas às lesões nos vasos sanguíneos, antes delas se manifestarem por meio de sintomas. 

Assim, utilizamos a pesquisa da perda de albumina na urina - excreção urinária de albumina - para detectar precocemente a lesão renal causada pelo diabetes, conhecida como nefropatia diabética, quando ainda não apresenta qualquer sinal ou sintoma clínico. O exame de urina tipo 1, realizado paralelamente ao de albumina, é importante, pois infecções urinárias assintomáticas podem falsear o resultado da pesquisa de albumina na urina. A recomendação é que pacientes com diabetes tipo 2 realizem esse exame assim que o diagnóstico é realizado, e os pacientes com diabetes tipo 1 após 5 anos do diagnóstico. A frequência do exame é anual, se o resultado for normal. Se o resultado for alterado, o mesmo deve ser repetido, pois somente é considerado positivo se 2 de 3 amostras estiverem fora do padrão (diversos fatores do cotidiano podem interferir e precisam ser descartados para aumentar a precisão deste exame).

O fundo de olho ou fundoscopia é um exame realizado pelo oftalmologista diretamente, por meio de um fundoscópio, ou por um equipamento que tira fotos e documenta os vasos da retina, conhecido como mapeamento de retina. Assim como a detecção da excreção urinária de albumina, o objetivo é detectar pequenas lesões nos vasos, ocasionadas pela hiperglicemia, antes que apareçam alterações clínicas ou complicações, permitindo que se faça tratamento precoce. Se o resultado for normal, deve ser repetido anualmente. Se alterado, deve-se repetir em períodos mais curtos e de acordo com a indicação do oftalmologista. 

http://perspectiveopticians.co.uk/2011/08/02/eye-examination/

Como as pessoas com diabetes tipo 2 tem alta prevalência de doença coronariana assintomática, é recomendada a realização de um eletrocardiograma de repouso anualmente, nestes pacientes. 


3. Apesar de sabermos que o tratamento e as metas de controle devem ser individualizados, existem metas gerais de A1C, dependendo da faixa etária. Há parâmetro/metas para os demais exames?

A excreção urinária de albumina, que rastreia a nefropatia diabética pode ser determinada na primeira urina da manhã, pela razão albumina/creatinina (RAC). Desta forma, a meta é ter esta RAC menor do que 30 mg/g de creatinina.

O fundo de olho normal se caracteriza pela ausência de microaneurismas e de sangramentos nos vasos da retina.


E o eletrocardiograma de repouso deve ter um traçado sem alterações indicativas de isquemia cardíaca

Continuamos com mais respostas sobre os exames na próxima semana. Não perca!

Dra. Cristina Khawali 
Médica Endocrinologista
Mestre e Doutora pela Disciplina de Endocrinologia e Metabologia da EPM/UNIFESP
Telefone do Consultório: (11) 5061-0915  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes