Novidades sobre Atividade Física e Diabetes


Para conhecer melhor o que pesquisas recentes têm indicado sobre como ampliar os benefícios da prática segura de exercícios físicos em pessoas com diabetes tipo 1 convidamos a educadora física e doutoranda da USP, Patrícia Vieira de Luca, que gentilmente escreveu a postagem desta e a da próxima semana. 

http://espacofitpilates.com.br/atividades/treinamento-funcional/

Sabemos da importância da prática de atividades físicas tanto no lazer quanto nas atividades diárias, ao menos 150 minutos semanais. Seus benefícios serão aumentados quando esta prática é feita de forma regular e contínua, promovendo a longevidade e reduzindo a frequência e severidade das complicações do diabetes tipo 1 (DM1).

Mesmo com todos esses benefícios a recomendação do tipo de exercício continua incerta, pois não há muitos dados consistentes quanto à redução da HbA1c, e a hipoglicemia durante e após o exercício continua sendo uma preocupação.

Mas por que da hipoglicemia? A resposta é simples: pessoas sem diabetes regulam a liberação de insulina. Então, como há necessidade de menor quantidade desse hormônio durante o exercício, acontece uma redução da liberação da insulina, evitando assim a hipoglicemia. Já pessoas com DM1, ao aplicarem a insulina de curta, média e longa duração, obviamente, não terão esta redução. Portanto, como o exercício melhora a ação da insulina, para levar mais energia às células do nosso corpo, principalmente às musculares, sem a redução da quantidade de insulina no organismo, aumentam as chances de acontecer hipoglicemia.

Por esse motivo, algumas pessoas com diabetes se antecipam reduzindo a dose de insulina no dia de maior prática de atividade física (conforme recomendação médica), e/ou se alimentando antes do exercício.

http://www.bondfaro.com.br/livros--atividade-fisica-e-diabetes-colberg-sheri-8520416586.html

Hoje sabemos que para evitar hipoglicemias também é possível praticar exercícios intensos inicialmente, já que provocam grande aumento de hormônios contrarreguladores (hormônios que atrapalham a ação da insulina e aumentam a glicemia), ou seja, hormônios que provocam a liberação de muita glicose, principalmente do fígado evitando reduções bruscas da glicose no sangue durante este tipo de exercício. E são utilizados então como estratégias para evitar hipoglicemias. De fato são eficientes. Entretanto, a grande quantidade de glicose que é utilizada precisa ser reposta. O que, se não acontecer, pode provocar depois de algum tempo queda da glicemia ainda mais acentuada do que àquela provocada pelo exercício aeróbio moderado (caminhadas, por exemplo). Por tanto, tudo tem que ser muito bem pensado e coordenado na tríade (alimentação, exercício e insulina).

Após todas estas informações, vamos pensar em outros tipos de exercícios, como os resistidos (pesos livres ou em máquinas), os quais serão comentados na próxima postagem. Até lá!

Patrícia Vieira de Luca
Mestre em Educação Física-USP
Voluntária na ADJ-Diabetes Brasil
Parte da Equipe de profissionais do Educando Educadores
www.educandoeducadores.com.br

Leia também:

Exercício Aeróbio ou Anaeróbio? Qual é melhor?

Atividade Física antes e no início da Gravidez previne Diabetes Gestacional

Pilates e a necessidade de outras atividades físicas


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?