Diabetes Tipo 1 é Curado com Terapia Gênica em Cães


De acordo com artigo publicado no jornal elPeriódico.com, "Pesquisadores da Universidade Autônoma de Barcelona (UAB) alcançaram curar o diabetes tipo 1 em cães por uma única sessão de terapia gênica. Embora a mesma equipe tenha alcançado um marco semelhante anos atrás, em ratos, esta é a primeira vez que animais de grande porte são submetidos, 'um passo indispensável para a futura aplicação em humanos', disse o coordenador do trabalho, Fátima Bosch, professora da UAB e diretora do Centro de Biotecnologia Animal e Terapia Gênica (CBATEG), no campus de Bellaterra.


Equipe da UAB com os cães curados com terapia gênica. PIERRE CAUFAPÉ
www.elperiodico.com/es/noticias/ciencia/investigadores-uab-curan-diabetes-tipo-perros-2312872


Quatro anos depois do início do diabetes, sem terem produção de insulina, os cães receberam o vetor viral com os genes curativo. Hoje os animais estão em perfeitas condições, e não precisam de injeções de insulina. Também não há efeito colateral, mesmo em relação ao peso.

Com cautela, no entanto, Bosch lembrou que 'estes processos são lentos e caros' e que haverá muitos testes 'antes de testar em seres humanos.' Na verdade, o objetivo agora é replicar o experimento, que foi realizado com cinco cães da raça beagle, com outras raças e depois com porcos.

A terapia 'é minimamente invasiva', disse a professora da UAB. Uma sessão é composta por várias injeções no músculo das pernas traseiras do animal, por meio de agulha simples, similares às utilizados em tratamentos cosméticos. Com estas injeções são introduzidos vetores nos músculos, especificamente vírus inerte com dois genes distintos introduzidos.

A terapia tem dupla função: expressar o gene da insulina, por um lado, e a glucoquinase do outro. A glucoquinase, uma enzima, atua como um regulador da absorção de glucose a partir do sangue. Quando ambos os genes atuam simultaneamente, têm a função de 'sensor de glicose', obtendo-se uma regulação automática da absorção de glucose a partir do sangue, reduzindo assim a hiperglicemia e revertendo o diabetes (glicose excessiva associada à disfunção).

A investigação envolveu CBATEG pesquisadores de vários departamentos da UAB, a Ciber rede de doenças metabólicas no Hospital Infantil da Filadélfia (EUA) e do Instituto Médico Howard Hughes, na Filadélfia (EUA)."


Indicação de Clarissa Solari

Leia também:

6 pacientes DM1 sem insulina por mais de 3 anos... estão curados?

Diabetes tipo 1 é revertido em camundongos (cura?)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?