Exercício Aeróbio ou Anaeróbio? Qual é melhor?

Para responder à pergunta acima convidamos a Educadora Física, Fisioterapeuta e Especialista em Reabilitação Cardíaca e Diabetes, Lucy Mie Aihara.

Exercícios aeróbios são aqueles que conseguimos realizar por um longo tempo em carga suportável, exercício de intensidade leve à moderado (pedalar, nadar, andar, correr, dançar, patinar, entre outros). Já os exercícios anaeróbios são aqueles nos quais a intensidade é aumentada e a duração é mais curta (saltos, sprints - tiros de velocidade, exercícios resistidos, como a musculação), já que não conseguimos realizar por tempos prolongados, comparado aos exercícios aeróbios.


Para quem tem diabetes, assim como para quem não tem, damos uma maior importância aos exercícios aeróbios, para que se tenha um bom condicionamento físico e se obtenha melhora no controle glicêmico. Isso porque esse tipo de exercício melhora bastante a sensibilidade e diminui a resistência à ação da insulina. O portador de diabetes apresenta de 2 a 4 vezes mais chance de apresentar doença cardiovascular, e os exercícios aeróbios ajudam no controle dos fatores de risco para doença cardiovascular (hipertensão, hipercolesterolemia, stress, sedentarismo, obesidade).

Contudo, para um trabalho de exercícios completo também devemos realizar exercícios anaeróbios. Estes ajudam aumentar a força muscular, e são importantes na prevenção e recuperação na perda da massa óssea, especialmente se realizado na presença de sol e seguindo dieta adequada. Os exercícios anaeróbios bem orientados ainda podem ajudar a manter o controle glicêmico. Para os que gostam de praticar algum esporte, é bom saber que a maioria deles é composta tanto por momentos aeróbios, quanto momentos anaeróbios. Portanto, ambos os exercícios, aeróbios e anaeróbios, são importantes, não se esquecendo dos alongamentos que, junto com o aquecimento prévio da musculatura, ajuda a preparar o corpo à pratica esportiva. E ao fim do treino, é importante um "desaquecimento" lento, que ajuda na recuperação do coração para a volta ao repouso.


Recomenda-se ainda que o portador de diabetes busque orientação com professor de educação física especializado para que seja bem orientado e realize a atividade física de forma segura, minimizando os riscos e aumentando os benefícios dos exercícios físicos. Sem nunca esquecer de monitorar a glicemia com frequência, ou seja, antes, durante (a cada 30 minutos ou ao sentir sintomas de hipo ou hiperglicemia), após o exercício físico e também de madrugada (2h, 3h da manhã), a fim de evitar surpresas com hipoglicemias tardias ao treinamento.

Espero ter ajudado a responder à questão! Bons treinos! E saúde a todos!

Lucy Mie Aihara
Profa Ed. Física especializada em Condicionamento Físico
aplicado à Prevenção Cardiológica Primária e Secundária
Profa Atividade Física da Associação de Diabetes Juvenil 
Fisioterapeuta
Tel: (11) 99649-6082

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?