Cuidado com a HIPOGLICEMIA ASSINTOMÁTICA

Você já passou alguma vez pela situação de não perceber que está em hipoglicemia e só se dar conta quando a glicemia está muito baixa? Esse tipo de situação não é incomum. Algumas pessoas, especialmente depois de alguns anos de diagnóstico, perdem, quase por completo, a sensibilidade às hipoglicemias. Com isso, correm o risco de entrar em hipoglicemia severa, mesmo durante a vigília, sem nem terem percebido que a glicemia estava baixando. Se esse é seu caso, há o que fazer, conforme discutido à seguir. De qualquer forma, vale sempre a pena ficar atento.


Em livro pulicado pela JDRF, são apresentadas estratégias tanto para evitar esse quadro e quanto para reverte-lo. A recomendação primeira é reduzir a frequência de hipoglicemias. Isso porque a sensibilidade é perdida exatamente quando a hipoglicemia passa a ser um estado frequente. É como se o organismo se acostumasse à hipoglicemia e parasse de responder e apresentar sintomas.

Para quem já tem hipoglicemia assintomática, a estratégia recomendada é a seguinte:
  • Reduzir a dose total diária de insulina e usar a metas glicêmicas mais elevadas durante algumas semanas (pelo menos 2 ou 3 semanas);
  • Evitar, nesse período, ter glicemias abaixo de 90 mg/dl (para isso, deverá medir a glicemia com maio frequência);
  • Consumir alimento (corrigir) antes que a glicemia atinja níveis baixos (abaixo de 90 mg/dl);
  • Evitar bebida alcoólica;
  • Manter contato com sua equipe de saúde, especialmente com seu endocrinologista.

Lembre-se sempre das recomendações para tratamento de hipoglicemia. Se sua glicemia estiver por volta de 70 mg/dl ou menos, é hora de corrigir!



Comentários

  1. Muito bom.depois de 28 anos....não sinto os sintomas da hipo com frequência . estou seguindo isso e de fato os sintomas estão voltando....bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?