Transplante de Pâncreas: a CURA ?!

Informações obtidas na Reunião/Simpósio, no Hospital Bandeirantes de São Paulo, organizada pela Associação para Pesquisa e Assistência em Transplante (APAT). Enquanto os palestrantes eram, em sua maioria, profissionais da equipe de transplantes do grupo HEPATO, na platéia havia muitas pessoas que fizeram ou farão transplante, e seus familiares. Foi uma oportunidade ímpar de conhecer, além das interessantes atualizações sobre o procedimento (transplante), os desafios pelos quais passam essas pessoas, assim como a gratidão que expressam. No depoimento de alguns que receberam o transplante, a emoção e a sensação de cura eram claras, conforme exploraremos abaixo.

Foto de João Teófilo (APAT)

As principais informações a respeito são as seguintes:

  • O transplante é indicado somente para pessoas com complicações do diabetes tipo 1. No caso de haver, entre as complicações, insuficiência renal, além do transplante de pâncreas é feito o transplante de rim.
  • Após o transplante é necessário tomar remédio imunossupressor todos os dias, para o resto da vida (podem ocorrer efeitos colaterais).
  • O órgão transplantado tem "vida útil" média de 10 a 12 anos.  

Há 3 tipos principais de transplante de pâncreas:

  • Pâncreas isolado (quando não há necessidade de transplante de rim)
  • Pâncreas após rim (modalidade mais praticada atualmente - apesar de haver a desvantagem de receber um órgão de cada doador, as cirurgias feitas em separado são menos desgastantes)
  • Pâncreas e rim simultâneos ou transplante duplo (cirurgia de 8 horas de duração)
Vídeo com Entrevista de Médico 
Coordenador do Grupo HEPATO de Transplantes

Número de pessoas na fila em São Paulo, atualmente:

  • 60 pâncreas (média de 3 a 6 meses de espera)
  • 353 pâncreas e rim (média de 2 a 3 anos de espera)
  • 8609 rim

O número anual de transplante de pâncreas no Brasil tem caído por falta de verba/investimento público.

O pâncreas é mais difícil de transplantar do que o rim. Por esse motivo há somente 5 equipes que transplantam pâncreas no Brasil e quem receberá o órgão precisa usar critérios objetivos para escolher com qual equipe fará o transplante.

Mark Barone, Thais Leal, Miriam Kunis, João Toéfilo e Lucy Aihara

Quem tem diabetes pode doar órgãos?

  • De acordo com o médicos presentes, há possibilidade de doação de rim e fígado após falecimento, se esses órgãos não apresentarem alterações. Já a doação de 1 rim durante a vida não é aceita, e o pâncreas, e geralmente também o coração, de pessoas com diabetes não são aceitos para transplantes. 

Cura

  • Muitos dos que receberam o transplante de pâncreas relatam estar curados do diabetes. Não há dúvida de que foi uma espécie de "renascer". Contudo, de acordo com Miriam Kunis e João Teófilo, o transplante é um tratamento para o diabetes tipo 1, geralmente o último tratamento quando complicações sérias já estão instaladas, impedindo a rotina normal da pessoa. E, caso seja possível ter um bom controle de outra forma, com outro tipo de tratamento, não há razão para pensar no transplante.

Comentários

  1. Boa tarde meu filho tem 12 anos e tem diabete tipo 1 ele tem passado mal teve 3 apagão esse mês eu posso doar meu pâncreas para ele me ajudem por favor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sra. Graziele, não é possível transplantar o pâncreas de uma pessoa viva. Além disso, mesmo sendo seu filho, não há garantia de compatibilidade para doação. É importante que busque com médico especializado em diabetes tipo 1 e em associações de diabetes o tratamento mais adequado para o seu filho, que ajude a prevenir esses eventos.

      Excluir
    2. Prezada Sra Graziele, é fundamental que a Sra entre em contato com uma equipe de transplante de órgãos para que possam avaliar as necessidades de seu filho é assim possam colocá-lo na fila de transplante, se for o caso. Na matéria acima estivemos em contato com a equipe de transplantes Hepato.

      Excluir
  2. Bom dia desculpe o incomodo mas se eu for compatível posso doar me responsabilizo posso pedir uma ordem judicial se necessário eu estou desesperada preciso de ajuda aqui em Porto Alegre eles não estão conseguindo regular as doses de insulina obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  3. BOA NOITE, MEU IRMAO VEM APRESENTANDO CRISES DE PANCREATITE DESDE AGOSTO DE 2013,JA RETIROU A VESICULA E NA DATA DE HOJE 30/01/2016 FEZ A RETIRADA DE PSDEUDOCISTOS, POREM O MEDICO QUE O OPEROU DISSE QUE SEU PANCREAS ESTA TODO LEZADO.
    MEU IRMAO TEM APENAS 32 ANOS E ESTAMOS MUITO PREOCUPADOS.
    COM A EXPERIENCIA DE VOCES, QUAL O CAMINHO QUE TEMOS QUE SEGUIR AGORA.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde . Meu nome e gabriela . Tenho diabetes tipo 1 minha hemoglobina glicada esta 20,4% . Como faço para conseguir um transplante de pâncreas . Sinto complicações ao aplicar as insulinas tem dias que preciso aplicar mais de 8 vezes a insulina regular . Minha pele ja nao aquenta mais agulhas estou com o corpo todo marcado . A regiao da barriga quando aplico a pontinha da agulha fica na pele e preciso usar muita força para retirar sem contar a dor . Por favor se voces puderem me ajuda me liguem . Ou mande um email .
    Gabrielle.nogueira.barros@hotmail.com
    (11)97324-6287

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, bom, eu tenho 16 anos e tenho diabéte tipo 1 desde os meus 7 anos de idade, então eu tenho um pouco de experiencia nessa área hahaha.Para controlar melhor minha doença eu apenas fiz oque é recomendado, me exercitar regularmente, aplicar a insulina em seus devidos horarios, apenas comer oque posso, e isso vem me ajudando a deixar a doença "estabilizada", mas mesmo com todo esse aparatos de cuidado, ela ainda se altera, por conta de N fatores, e por isso comecei a usar mais insulina. Porém eu quase não sofro com as aplicações pois eu não estou usando a caneta fornecida pelo governo, que a´te hoje me da arrepios, eu estou usando uma caneta especial, o lado bom dessa caneta é que a agulha é de apenas 5mm, então quase não sinto nada, porém o lado negativo, é que como nosso sistema é defasado estou tentado que em algumas situações comprar o refil da insulina, e isso não é tão barato... Bom espero ter ajudado. e lembre-se que vc não esta sozinha nessa caminhada.

      Excluir
  5. Bom dia, meu filho tem diabetes tipo 1, descobrimos em Julho de 2015 e foi dado falência do pancreas, ele estava com o fígado inchado e os dois rins lesionados. Como faço para colocar ele na fila do transplante

    ResponderExcluir
  6. Oi tenho umas filha de 15 anos e foi descoberta à diabetes tipo 1 ela já sofre a causa que à diabetes trouxe às duas visões comprometidas e útero têm idade de 11 anos lembrando que ela já tem 15 emoglobina glicada 15 ela têm alguma chance de entrar pra fila de transplante de pâncreas?

    ResponderExcluir
  7. Boa noite, tenho 55 anos e sou diabética desde 11. Já faz alguns anos as complicações começaram com polineuropatia periférica de membros superiores e inferiores com muitas dores e limitações. Conseguia controlar com as dose de insulina mas este ano meu caso foi se agravando e minha insulina basal passou de 32 em 2015 para 2 este mês, Está muito difícil o controle mesmo com várias doses de insulina, estive internada de maio até agora 3 vezes com a glicemia passando dos 600. Estou com gordura no fígado, problemas circulatórios/ doença arterial periférica, ateromatose na aorta e membros inferiores, retinopatia, e o rim já apresentando sinais de desgaste, problemas no estomago devido 13 medicações por dia e
    contudo me sinto totalmente cansada e desanimada. Me sinto sem forças para continuar essa batalha. Gostaria de saber como faço para entrar na fila de transplante de pancreas. Se puderem me ajudar agradeceria imensamente. Obrigada

    ResponderExcluir
  8. Tenho 55 anos,diabética desde os 10. Com muitas complicações da doença como polineuropatia periférica de membros superiores e inferiores, doença arterial periférica, ateromatose da aorta e membros, gordura no fígado,retinopatia periférica e princípio de nefropatia além de vários problemas no estomago devido a dosagem de 13 medicamentos diários. A insulina basal que era 35 em 2015 caiu para 2 este ano e com isso estou tendo inúmeras crises graves de hiperglicemia , três internações com glicemias acima de 650. Tenho a impressão que não vou suportar muito tempo , me sinto cada dia mais cansada, sem estímulo e sem forças para continuar lutando. Gostaria que me ajudassem a entrar na fila de transplante de pancreas. Obrigada

    ResponderExcluir
  9. Tenho me aprofundado no assunto da diabete t1, EXISTE UM DOUTOR CIENTISTA QUE abraçou a causa pois sua filha tem diabete t1, ele trabalha na CURA POR QUASE 14 ANOS ...DESEJO LUZ E SABEDORIA A ESSE RAPAZ ....EXISTE UMA POSSIBILIDADE DE CURA, ELE ESTA BEM PRÓXIMO.
    VAMOS ACREDITAR TER FÉ .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?