O que esperar para 2015?

Além de felicidade, paz, amor e saúde, é possível esperar para 2015 muitas novidades em termos de medicamentos tecnologias médicas que facilitem o manejo do diabetes e o controle da glicemia. Durante de 2014, muitos anúncios, resultados de pesquisas, lançamentos e pré-lançamentos mundiais apontaram para essas novidades. Além disso, eventos científicos nacionais e internacionais não faltarão para que elas sejam conhecidas (muitos deles já divulgados site da SBD: www.diabetes.org.br/eventos.
https://abbottdiabetescare.co.uk/our-products
Dentre as novidades lançadas no Brasil, e amplamente divulgadas, vale a pena lembrar da insulina Degludec, primeira insulina basal a apresentar período total de ação bastante maior que 24 horas. Outro medicamento há muito aguardado para uso em diabetes tipo 2, a Dapagliflozina, também foi lançado, permitindo a eliminação de glicose na urina mais precocemente (antes que ocorra hiperglicemia). Além da bomba de insulina Veo®, que suspende a liberação de insulina quando é atingido determinado valor de glicose pré-programado, a fim de evitar a ocorrência de hipoglicemia severa. Outro lançamento, na Europa, neste caso, mas de muita repercussão também no Brasil, foi o FreeStyle Libre®. Trata-se de um novo sensor de glicose que não depende de calibrações, portanto, não é necessário fazer o teste de glicemia capilar para calibrá-lo, e cada sensor tem duração de 14 dias.
Nova Bomba da Medtronic, Minimed 640G
Seguindo a mesma linha de lançamentos de drogas novas mais eficazes e equipamentos com mais recursos que facilitam o manejo do diabetes, foram divulgados em 2014 estudos de novas formulações de insulina em fase de teste, como a Glargina U300, apresentando menor ocorrência de hipoglicemia noturna e severa em pessoas com diabetes tipo 2.1 Em relação às bombas de insulina, talvez o pré-lançamento que mais chama a atenção é o da bomba MiniMed® 640G, feito na Austrália. Diferente da Veo® que suspende a insulina apenas quando um determinado valor de glicose é atingido e, permanece suspenso por 2 horas, a não ser que o indivíduo cancele a suspensão, no caso da MiniMed® 640G a insulina é suspensa quando há previsão de hipoglicemia. Portanto, o bloqueio ocorre antes que se atinja valor referente ao de hipoglicemia, e a suspensão é cancelada automaticamente quando não há mais hipoglicemia e/ou previsão de hipoglicemia.2
Nova Bomba de Insulina da Roche: Accu-chek Insight
Finalmente, já na primeira edição de 2015 de duas importantes revistas científicas da área aparecem resultados e revisões de temas de grande interesse para o ano, que são: 1) formulações estáveis de Glucagon por até uma semana em ambiente não refrigerado, que poderão facilitar o cumprimento da meta do Prof. Dr. Edward Damiano de finalizar e comercializar o pâncreas biônico até 2017 (esta era uma das principais limitações para o desenvolvimento do equipamento em questão);3,4 e progressos na compreensão da relação entre microbiota e desenvolvimento de obesidade e diabetes tipo 2 (o que, apesar de estar em pauta há alguns anos, gerou muita polêmica em 2014 quando apresentados resultados da possível interação de adoçantes comerciais com a microbiota)5, com destaque para o desenvolvimento de novas drogas, terapias e entendimento do, já realizado com sucesso, transplante de microbiota fecal.6
Mais informações em:
Barone, Mark. Logo mais as bombas e sensores cuidarão de tudo. Disponível em: http://tenhodiabetestipo1eagora.blogspot.com.br/2014/12/logo-mais-as-bombas-e-sensores-cuidarao.html Acesso em 30/12/2014.
Barone, Mark. Glicemia Sem Sangue ou no Celular, Cateter e Sensor Combinados, Insulina de Duração Prolongada e Outras Novidades. Disponível em: http://tenhodiabetestipo1eagora.blogspot.com.br/2014/06/glicemia-sem-sangue-ou-no-celular.html Acesso em 30/12/2014.
Referências:
1. Riddel, et a. New Insulin Glargine 300 Units/mL Versus Glargine 100 Units/mL in People With Type 2 Diabetes Using Oral Agents and Basal Insulin: Glucose Control and Hypoglycemia in a 6-Month Randomized Controlled Trial (EDITION 2). Diabetes Care December 1, 2014 37:3235-3243
2. Medtronic. The new MiniMed® 640G System. Disponível em: http://us6.campaign-archive2.com/?u=0c17efa329&id=a60fc2063c&e=ca0fcd2b5d. Acesso em 30/12/2014.
3. Journal of Diabetes Science and Technology. January 2015; 9 (1). Symposium: Glucagon Therapy. Disponível em: http://dst.sagepub.com/content/9/1.toc Acesso em 30/12/2014.
4. Boston University. Boston University’s 2014 University Lecture Presented by Edward Damiano. Disponível em: http://youtu.be/zg5S0kbSqgY Acesso em 30/12/2014.
5. do Nascimento, Maria Aparecida B. ARTIFICIAL SWEETENERS INDUCE GLUCOSE INTOLERANCE BY ALTERING THE GUT MICROBIOTA |ARTIGO COMENTADO|. Publicado no site da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) em: 13 Outubro 2014, Disponível em: http://www.diabetes.org.br/colunistas-nutricao/dra-maria-aparecida-b-do-nascimento/artificial-sweeteners-induce-glucose-intolerance-by-altering-the-gut-microbiota-artigo-comentado Acesso em 30/12/2014.
6. American Diabetes Association. “Obese” and “Lean” Bacteria: Growing Interest in the Gut Microbiome. Diabetes Care 2015; 38:1. Disponível em: http://care.diabetesjournals.org/content/38/1/1.full Acesso em 30/12/2014.

Artigo publicado originalmente no site da Sociedade Brasileira de Diabetes: www.diabetes.org.br/colunistas/dr-mark-barone/o-que-esperar-para-2015

Comentários

  1. Muito bom ter informações sobre o que há de novo.
    Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?