Pular para o conteúdo principal

Por que e como rastrear complicações?

Como já se sabe, quem tem diabetes tem chances aumentadas de desenvolver algumas complicações. Mas isso não significa que você irá necessariamente desenvolve-las. Fazendo um bom controle da glicemia, especialmente mantendo a hemoglobina glicada (A1C) menor que 7%, em adultos, ou, quando possível, menor que 6,5%, pode prevenir ou postergar muito o desenvolvimento de complicações.

www.corposaun.com/variacoes-pressao-comuns-verao/5517/

Sempre no início do ano a Associação Americana de Diabetes (ADA) publica suas recomendações. Em relação ao rastreio de complicações, as principais recomendações são as seguintes:


- Pressão arterial: deve ser medida a cada consulta. Metas ideais para portadores de diabetes: PA sistólica <130 mmHg e pressão diastólica <80 mg/dL.
- Dislipidemia: o perfil lipídico deve ser medido pelo menos uma vez ao ano. Metas para adultos: colesterol LDL <100 mg/dL; colesterol HDL >50 mg/dL; triglicérides <150 mg/dL.
- Nefropatia: pelo menos um testes anual para avaliar a excreção urinária de albumina em pacientes com DM1 de duração superior a 5 anos. Testes anuais também estão indicados para pacientes com DM2 desde o diagnóstico.
- Retinopatia: avaliação oftalmológica dentro de 5 anos após o diagnóstico em DM1. Em pacientes com DM2, essa avaliação deve ser feita imediatamente após o diagnóstico. Em ambos os casos (DM1 e DM2) as avaliações oftalmológicas devem ser repetidas anualmente.
- Cuidados com os pés: todos as pessoas com diabetes devem realizar anualmente um exame abrangente dos pés.
Mas afinal, por que rastrear as complicações? Como ouvimos falar com frequência, quanto antes se descobre, maiores as chances de o tratamento dar certo, não é? Pois bem, para as complicações essa máxima também se aplica. Assim, sempre que for ao médico, peça que sejam feitas as avaliações citadas acima. Que devem incluir avaliação de sensibilidade dos pés, pedido de exame de hemoglobina glicada, colesterol total e frações, triglicérides, microalbuminúria e creatinina, pressão arterial, e encaminhamento para avaliação de retina com pupila dilatada por oftalmologista.
Dessa forma, caso alguma complicação esteja começando a se desenvolver medidas rápidas podem evitar sua progressão. Mas lembre-se sempre que controlar a glicemia é o grande segredo para evitar complicações. E, caso já tenha detectado alguma, um bom controle glicêmico favorecerá que ela não progrida!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Você deve estar se perguntando, "o que será que aconteceu com o suco de laranja? será que descobriram algum suco contaminado?" Não, não é esse o caso. Estamos falando do suco de laranja natural mesmo, não adoçado, feito na hora, ou comprado em caixinha. E o alerta é para todos que têm diabetes. Vejamos por quê.

O suco de laranja é bastante popular no Brasil. Pudera, somos exportadores de laranja e de suco de laranja. Por isso, é comum encontrar pessoas tomando suco de laranja na padaria, no bar, no restaurante, seja durante a refeição ou em seus intervalos. Além disso, todos apreciam o fato de a laranja ser uma fruta rica em vitaminas e minerais, como a vitamina C. 
Por outro lado, existe um mito em relação ao suco de laranja, assim como em relação aos outros sucos de fruta, como o suco de melancia e o de uva. "Se é natural, não tem com o que se preocupar". Porém, especialmente para quem tem diabetes, os sucos naturais podem ser vilões e atrapalhar muito o control…

Comer... Mas quando tomar a insulina?

Este artigo tem como objetivo responder uma questão que, junto à contagem de carboidratos, é cada dia mais frequente. Quando tomar a insulina ultra-rápida para os carboidratos que consumi ou consumirei? Muitas pessoas têm relatado um frequente descontrole glicêmico, resultando em Hemoglobina Glicada (A1C) alta, devido a terem hiperglicemia após a alimentação, ou mesmo por se esquecerem de tomar a insulina que deveria ter sido tomada para a refeição.
A primeira coisa que é importante saber é que essa elevação da glicemia pós-pandial (depois da alimentação) é prejudicial ao organismo, aumentando o risco de complicaçõescrônicas do diabetes.


Quanto ao momento de tomar a insulina, é importante lembrarmos que mesmo as insulinas ultra-rápidas (Lispro, Aspart e Glulisina) começam a agir entre 10 e 15 minutos após serem aplicadas. Por isso, se você já se alimentou e ainda não tomou sua insulina, sua glicemia irá subir. Os alimentos, em especial os ricos em carboidratos, começam a ser absorvid…

Xultrophy: Insulina + GLP-1 (menos hipoglicemias, melhor A1C e perda de peso!)

Por Ronaldo J. P. Wieselberg
No último congresso da ADA (American Diabetes Association), neste ano, foi apresentado um trabalho que demonstrava os benefícios de um “novo” medicamento para o diabetes, chamado Xultophy. Novo, entre aspas, porque, na verdade, ele não é exatamente algo novo no mercado...
O Xultophy nada mais é do que uma mistura (em quantidades certas!) de insulina Degludeca (Tresiba) e da Liraglutida, um dos agonistas de GLP-1 (Victoza). Os três produtos em questão – Xultrophy, Tresiba e Victoza – são produzidos pela NovoNordisk. Até aí, nada demais – não fosse o fato de que o Xultophy “venceu” a Lantus (insulina glargina) durante o estudo, ou seja, exibiu mais benefícios para pessoas com diabetes tipo 2 (DM2).
Para entender essa “vitória”, vamos explicar rapidamente como são feitos os estudos de novos medicamentos.
Depois que o novo medicamento é testado em cobaias – principalmente ratos – e em pessoas saudáveis, para que haja segurança – ou seja, para que saibamos que …