Por que e como rastrear complicações?

Como já se sabe, quem tem diabetes tem chances aumentadas de desenvolver algumas complicações. Mas isso não significa que você irá necessariamente desenvolve-las. Fazendo um bom controle da glicemia, especialmente mantendo a hemoglobina glicada (A1C) menor que 7%, em adultos, ou, quando possível, menor que 6,5%, pode prevenir ou postergar muito o desenvolvimento de complicações.

www.corposaun.com/variacoes-pressao-comuns-verao/5517/

Sempre no início do ano a Associação Americana de Diabetes (ADA) publica suas recomendações. Em relação ao rastreio de complicações, as principais recomendações são as seguintes:


- Pressão arterial: deve ser medida a cada consulta. Metas ideais para portadores de diabetes: PA sistólica <130 mmHg e pressão diastólica <80 mg/dL.
- Dislipidemia: o perfil lipídico deve ser medido pelo menos uma vez ao ano. Metas para adultos: colesterol LDL <100 mg/dL; colesterol HDL >50 mg/dL; triglicérides <150 mg/dL.
- Nefropatia: pelo menos um testes anual para avaliar a excreção urinária de albumina em pacientes com DM1 de duração superior a 5 anos. Testes anuais também estão indicados para pacientes com DM2 desde o diagnóstico.
- Retinopatia: avaliação oftalmológica dentro de 5 anos após o diagnóstico em DM1. Em pacientes com DM2, essa avaliação deve ser feita imediatamente após o diagnóstico. Em ambos os casos (DM1 e DM2) as avaliações oftalmológicas devem ser repetidas anualmente.
- Cuidados com os pés: todos as pessoas com diabetes devem realizar anualmente um exame abrangente dos pés.
Mas afinal, por que rastrear as complicações? Como ouvimos falar com frequência, quanto antes se descobre, maiores as chances de o tratamento dar certo, não é? Pois bem, para as complicações essa máxima também se aplica. Assim, sempre que for ao médico, peça que sejam feitas as avaliações citadas acima. Que devem incluir avaliação de sensibilidade dos pés, pedido de exame de hemoglobina glicada, colesterol total e frações, triglicérides, microalbuminúria e creatinina, pressão arterial, e encaminhamento para avaliação de retina com pupila dilatada por oftalmologista.
Dessa forma, caso alguma complicação esteja começando a se desenvolver medidas rápidas podem evitar sua progressão. Mas lembre-se sempre que controlar a glicemia é o grande segredo para evitar complicações. E, caso já tenha detectado alguma, um bom controle glicêmico favorecerá que ela não progrida!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes