Organismo desenvolvendo diabetes tipo 1 é filmado (ataque às células beta do pâncreas)

Pesquisadores do La Jolla Institute for Allergy & Immunology, na Califórnia, conseguem pela primeira vez na história filmar o ataque de glóbulos brancos às células produtoras de insulina do pâncreas em animais (camundongos). Portanto, pela primeira vez se observa ao vivo um organismo desenvolvendo diabetes mellitus tipo 1. Veja abaixo (células T do sistema imune são marcadas com cor roxa no vídeo, enquanto na parte verde estão as células beta, que estão sendo atacadas).



"Esta imagem ao vivo das células brancas do sangue que causam diabetes é bastante notável", disse George Eisenbarth, MD, Ph.D., um proeminente pesquisador diabetes tipo 1 e diretor-executivo do Centro Barbara Davis de Diabetes na Infância, Colorado. "Estas imagens fornecem informações críticas sobre o processo da doença. Tais informações podem permitir novas abordagens para parar o processo de destruição, com o objetivo final sendo a prevenção. "

Entre as descobertas importantes estão o fato de "as células T se moverem aleatoriamente em todo o pâncreas até se depararem com as células beta, quando diminuem a velocidade e liberam substâncias tóxicas que, eventualmente, matam as células beta. O mais surpreendente é que este 'beijo da morte' leva um bom tempo, da ordem de horas (para matar um pouco as células beta)", disse Dr. Coppieters.

Os cientistas também descobriram o grande número de células T necessárias nos ratos - dezenas de milhões - para produzir a destruição maciça das células beta. "Uma vez que o número de células T no pâncreas humano é significativamente menor do que em camundongos, isso significa que o ataque auto-imune já está em andamento há anos antes que o número de células beta caia abaixo de um limiar crítico, resultando no diagnóstico do diabetes tipo 1", disse o Dr. von Herrath.

"Do ponto de vista terapêutico, estes estudos sugerem a possibilidade de se encontrar uma maneira de impedir que as células T de acessem o pâncreas, em primeiro lugar, já que quando elas fizerem isso, têm a capacidade de destruir várias células beta ao mesmo tempo."

Fonte: http://www.liai.org/pages/news-releases_dec_01_2011a

Veja também:

6 pacientes DM1 sem insulina por mais de 3 anos... estão curados?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suco de Laranja? Cuidado!!!

Pâncreas Artificial, uma realidade! Como faço para ter um?

Hemoglobina Glicada (A1C ou HbA1c) para controle e diagnóstico do diabetes